Apresentação

Bem-vindo ao Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da UFES

  • A linha de pesquisa se constitui a partir da articulação de investigações que abrangem os
    conhecimentos históricos, filosóficos, sociológicos, psicológicos e da ciência política que norteiam
    as pesquisas da educação em seus processos formativos e em suas políticas públicas. Investiga a
    educação no contexto dos direitos humanos, do trabalho, da justiça social, da desigualdade, da
    democracia, bem como pesquisa os movimentos sociais e seus processos educativos; a organização
    do trabalho escolar; a gestão dos sistemas educacionais; o planejamento, a implantação e a avaliação
    das políticas públicas na educação contemporânea. Realiza estudos comparados em políticas
    educacionais.
    Profa. Dra. Edna castro de Oliveira
    Profa. Dra. Eliza Bartolozzi Ferreira
    Profa. Dra. Gilda Cardoso Araújo
    Profa. Dra.Juçara Luzia Leite
    Prof. Dr. Marcelo Lima
    Profa. Dra. Maria Elizabeth B. de Barros
    Profa. Dra. Vania Carvalho Araújo

  • Investiga a constituição de sujeitos público-alvo da educação especial imersos nas práticas educativas
    escolares e não-escolares inclusivas. Tem como temas privilegiados a pesquisa em: educação, escola e
    processos de desigualdade e de inclusão/exclusão; políticas de educação especial na educação básica e no
    ensino superior; políticas da educação bilíngue para surdos; processos de ensino e de aprendizagem no
    campo da educação especial; práticas pedagógicas e currículo na perspectiva inclusiva; formação de
    professores, tradutores/intérpretes de Libras e gestores de educação especial; estudos comparados em
    educação especial.
    Profa. Dra. Denise Meyrelles de Jesus
    Prof. Dr. Edson Pantaleão Alves
    Prof. Dr. Hiran Pinel
    Profa. Dra. Ivone Martins de Oliveira
    Profa. Dra. Lucyenne Mattos da Costa Vieira Machado
    Prof. Dr. Reginaldo Célio Sobrinho
    Prof. Dr. Rogério Drago
    Profa. Dra. Sonia Lopes Victo

  • A linha de pesquisa se constitui a partir da articulação de investigações nos campos do currículo, da docência, da formação docente e da história da educação. Investiga as teorias-práticas político-culturais articuladas aos múltiplos contextos das aprendizagens e do meio ambiente, em seus desdobramentos
    epistemológicos. Abrange questões relacionadas às dimensões ético-estético-políticas das diferentes redes
    educativas, dos processos de subjetivação, da afirmação da diferença e dos complexos desafios, impactos e
    movimentos de criação e de resistência aos processos de desigualdade vivenciados na sociedade
    contemporânea.
    Profa. Dra. Ana Carolina Galvão Marsiglia
    Profa. Dra. Janete Magalhães Carvalho
    Prof. Dr. Carlos Eduardo Ferraço
    Profa.Dra. Martha Tristão
    Profa. Dra. Silvana Venturim
    Prof. Dr. Erineu Foerste
    Prof. Dr. Geide Coelho
    Profa.Dra. Regina Helena S. Simões
    Profa.Dra. Valdete Côco

  • Investiga a linguagem verbal, visual e audiovisual nas dimensões históricas, sociais, culturais, estéticas,
    cognitivas e políticas, em espaços escolares e não-escolares, em diferentes níveis, etapas e modalidades da
    educação. Desenvolve pesquisas sobre processos ensino-aprendizagens da língua portuguesa, das línguas
    estrangeiras e da matemática; sobre a alfabetização, a leitura e a escrita; sobre a literatura; sobre arte e
    educação; sobre a comunicação e as tecnologias; sobre a formação dos profissionais que atuam com a
    linguagem na educação. Inclui ainda as políticas de educação voltadas para esses objetos e para as
    questões afeitas a diferenças e a desigualdades sociais.
    Prof. Dr. Cesar Cola
    Profa. Dra. Cleonara Maria Schwartz
    Profa. Dra. Cláudia Maria Mendes Gontijo
    Profa. Dra. Gerda Margit S. Foerste
    Profa. Dra. Kyria Rebeca N. L. Finardi
    Profa. Dra. Maria Amélia Dalvi Salgueiro
    Profa. Dra. Moema Lúcia M. Rebouças
    Prof. Dr. Robson Loureiro
    Profa. Dra. Vania Maria P. dos Santos-Wagner

O PPGE foi criado em 1978 e credenciado em 02/02/1999 (Portaria MEC nº182). Com 36 anos de existência, é o único programa de pós-graduação Stricto Sensu em Educação do Espírito Santo o que lhe confere uma importância no cenário regional e nacional porque possui ação efetiva no desenvolvimento de estudos e pesquisas em organizações públicas e privadas do estado e promove a formação de professores e demais profissionais brasileiros e estrangeiros. Pelo fato de sua privilegiada localização geográfica, o PPGE, ao longo de sua história, vem recebendo alunos estrangeiros, sobretudo vindos de países latino-americanos e africanos, exercendo uma ação social relevante no desenvolvimento da ciência e da tecnologia de muitos países.

De 1978 até 2013 foram defendidas 689 dissertações e 99 teses no PPGE/CE/UFES. A tendência é de uma crescente demanda pela pós-graduação Strictu Senso em educação no Espírito Santo e no Brasil que fomentou o crescimento significativo do Programa expresso pelo número de trabalhos defendidos até o momento.

Segue abaixo uma síntese do histórico do PPGE, com destaque para as alterações e adequações realizadas sob a base em um trabalho coletivo de seus professores que, comprometidos com a melhoria da qualidade do Programa, entenderam a necessidade de organizar o PPGE em acordo com os desafios científicos que apontam novos campos de investigação e com os pontos de inflexão do debate acadêmico. Portanto, as mudanças revelam o enfrentamento do Programa às novas demandas
históricas, filosóficas e políticas da educação brasileira, às quais trazem implicações para o pensamento e a prática da educação no Brasil.

Em 1978, teve início a oferta do curso de Mestrado, organizado em duas áreas de concentração: Administração de Sistemas
Educacionais e Avaliação de Sistemas Educacionais.

A partir de 1981, com as finalizações das primeiras dissertações de mestrado e com o crescimento do interesse da sociedade pelo Programa de Pós-Graduação, os professores se viram na necessidade de fazer alterações na organização do PPGE. Assim, a partir de 1985, houve a transformação da área de administração na área de Política e Administração Educacional e a criação da área de Desenvolvimento Humano e Processos Educacionais.

Em 1992, em atendimento às necessárias adequações colocadas pela prática institucional, foram realizadas mudanças na organização que baseada em áreas de concentração passou a ser estruturada em núcleos temáticos (Conhecimento e Práxis Educacional, Contextos da Educação Especial e Educação Infantil, Educação e Mudança Sócio Educacional) que abrangiam linhas de pesquisas (Fundamentos Sócio-Filosóficos da Educação, Formação e Práxis Político Pedagógica do Professor, Determinantes Sócio Psicológicos do Desempenho Escolar, Educação Especial, Educação Infantil, Pedagogia da Alternância).

Mais uma reestruturação foi realizada em 1999, quando os núcleos temáticos e as linhas foram reconfigurados e o programa passou a contar com dois núcleos e suas respectivas linhas: 1) Núcleo Conhecimento e Práxis Educacional (linhas Formação e Práxis do Professor, Educação Matemática, Educação e Linguagens) e; 2)Núcleo Contextos Sociopedagógicos da Educação (linhas Educação Especial: abordagens e trabalho, Contexto Psicossocial do Trabalho Educativo e Processos de Aprendizagem e, por último, Trabalho, Educação e Qualificação).

Em 2003, as linhas passaram a se articular em torno de novos núcleos: 1) Fundamentos e a Práxis da Educação (com as linhas História, Sociedade e Filosofia da Educação, Formação de Professores e Práticas Pedagógicas, Educação e Linguagens e Educação Matemática) e, 2) o Sujeito da Educação: conhecimento, aprendizagem e contextos (processos instituintes, ação educacional e aprendizagem, educação especial, educação ambiental e processos grupais).

Em atendimento às orientações da Capes, em 2004, O modelo baseado em núcleos foi substituído por linhas de pesquisa. Outro fato que exigiu mudança, foi a criação do Doutorado em Educação que fez surgir uma nova reorganização das linhas de pesquisa e dos currículos. Dessa forma, o Programa passou a se organizar em 4 linhas: 1)Fundamentos das Teorias e Práticas educativas; 2) Escola, Currículo, Sociedade e Cultura; 3) Educação Matemática e; 4) Educação e Linguagens.

Com a criação do Doutorado em 2004 e de aposentadorias de docentes na UFES, o colegiado avaliou a necessidade de formar novos quadros de professores e, para isso, desencadeou, nos anos de 2004, 2005, 2008 e 2013, processos de novos credenciamentos para o quadro de professores permanentes. O Programa adota uma política definida para ingresso e permanência dos docentes disciplinada por Resolução Específica. O processo é conduzido sistematicamente pela Comissão de Acompanhamento e Autoavaliação. O programa tem uma política cautelosa quanto ao nível e número de orientações permitidas aos doutores recém-ingressos no programa. Para o ingresso no doutorado, há requisitos de cumprimento com o Programa na oferta de disciplinas, 6 produtos qualificados e 5 (cinco) orientações de mestrados concluídas.O PPGE foi criado em 1978 e credenciado em 02/02/1999 (Portaria MEC nº182). Com 36 anos de existência, é o único programa de pós-graduação Stricto Sensu em Educação do Espírito Santo o que lhe confere uma importância no cenário regional e nacional porque possui ação efetiva no desenvolvimento de estudos e pesquisas em organizações públicas e privadas do estado e promove a formação de professores e demais profissionais brasileiros e estrangeiros. Pelo fato de sua privilegiada localização geográfica, o PPGE, ao longo de sua história, vem recebendo alunos estrangeiros, sobretudo vindos de países latino-americanos e africanos, exercendo uma ação social relevante no desenvolvimento da ciência e da tecnologia de muitos países.

De 1978 até 2013 foram defendidas 689 dissertações e 99 teses no PPGE/CE/UFES. A tendência é de uma crescente demanda pela pós-graduação Strictu Senso em educação no Espírito Santo e no Brasil que fomentou o crescimento significativo do Programa expresso pelo número de trabalhos defendidos até o momento.

Segue abaixo uma síntese do histórico do PPGE, com destaque para as alterações e adequações realizadas sob a base em um trabalho coletivo de seus professores que, comprometidos com a melhoria da qualidade do Programa, entenderam a necessidade de organizar o PPGE em acordo com os desafios científicos que apontam novos campos de investigação e com os pontos de inflexão do debate acadêmico. Portanto, as mudanças revelam o enfrentamento do Programa às novas demandas
históricas, filosóficas e políticas da educação brasileira, às quais trazem implicações para o pensamento e a prática da educação no Brasil.

Em 1978, teve início a oferta do curso de Mestrado, organizado em duas áreas de concentração: Administração de Sistemas
Educacionais e Avaliação de Sistemas Educacionais.

A partir de 1981, com as finalizações das primeiras dissertações de mestrado e com o crescimento do interesse da sociedade pelo Programa de Pós-Graduação, os professores se viram na necessidade de fazer alterações na organização do PPGE. Assim, a partir de 1985, houve a transformação da área de administração na área de Política e Administração Educacional e a criação da área de Desenvolvimento Humano e Processos Educacionais.

Em 1992, em atendimento às necessárias adequações colocadas pela prática institucional, foram realizadas mudanças na organização que baseada em áreas de concentração passou a ser estruturada em núcleos temáticos (Conhecimento e Práxis Educacional, Contextos da Educação Especial e Educação Infantil, Educação e Mudança Sócio Educacional) que abrangiam linhas de pesquisas (Fundamentos Sócio-Filosóficos da Educação, Formação e Práxis Político Pedagógica do Professor, Determinantes Sócio Psicológicos do Desempenho Escolar, Educação Especial, Educação Infantil, Pedagogia da Alternância).

Mais uma reestruturação foi realizada em 1999, quando os núcleos temáticos e as linhas foram reconfigurados e o programa passou a contar com dois núcleos e suas respectivas linhas: 1) Núcleo Conhecimento e Práxis Educacional (linhas Formação e Práxis do Professor, Educação Matemática, Educação e Linguagens) e; 2)Núcleo Contextos Sociopedagógicos da Educação (linhas Educação Especial: abordagens e trabalho, Contexto Psicossocial do Trabalho Educativo e Processos de Aprendizagem e, por último, Trabalho, Educação e Qualificação).

Em 2003, as linhas passaram a se articular em torno de novos núcleos: 1) Fundamentos e a Práxis da Educação (com as linhas História, Sociedade e Filosofia da Educação, Formação de Professores e Práticas Pedagógicas, Educação e Linguagens e Educação Matemática) e, 2) o Sujeito da Educação: conhecimento, aprendizagem e contextos (processos instituintes, ação educacional e aprendizagem, educação especial, educação ambiental e processos grupais).

Em atendimento às orientações da Capes, em 2004, O modelo baseado em núcleos foi substituído por linhas de pesquisa. Outro fato que exigiu mudança, foi a criação do Doutorado em Educação que fez surgir uma nova reorganização das linhas de pesquisa e dos currículos. Dessa forma, o Programa passou a se organizar em 4 linhas: 1)Fundamentos das Teorias e Práticas educativas; 2) Escola, Currículo, Sociedade e Cultura; 3) Educação Matemática e; 4) Educação e Linguagens.

Com a criação do Doutorado em 2004 e de aposentadorias de docentes na UFES, o colegiado avaliou a necessidade de formar novos quadros de professores e, para isso, desencadeou, nos anos de 2004, 2005, 2008 e 2013, processos de novos credenciamentos para o quadro de professores permanentes. O Programa adota uma política definida para ingresso e permanência dos docentes disciplinada por Resolução Específica. O processo é conduzido sistematicamente pela Comissão de Acompanhamento e Autoavaliação. O programa tem uma política cautelosa quanto ao nível e número de orientações permitidas aos doutores recém-ingressos no programa. Para o ingresso no doutorado, há requisitos de cumprimento com o Programa na oferta de disciplinas, 6 produtos qualificados e 5 (cinco) orientações de mestrados concluídas.

O programa tem sua sede em Vitória-ES, oferecendo o curso de Doutorado em Educação desde 2004 e o curso de Mestrado em Educação desde 1978 e mantém um perfil de qualificação acadêmica atestado pela CAPES, tendo recebido conceito 4 na última avaliação.

O programa já formou 431 mestres e 172 doutores e conta com 165 alunos regularmente matriculados, sendo 86 no mestrado e 79 no doutorado.

Transparência Pública
Acesso à informação
Reuni

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras | Vitória, ES -Brasil | CEP 29075-910