Histórico

A Universidade Federal do Espírito Santo, por meio do Centro de Educação, possui, desde o ano de 1978, um Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) com cursos de mestrado e doutorado acadêmicos. A partir da experiência com a formação de mestres e doutores, ao longo dos anos, foi observada a crescente demanda pela pós-graduação strictu senso em Educação no Espírito Santo e também a impossibilidade de um único programa acolher a demanda.

Mesmo com a criação do Programa de Pós-Graduação em Ensino na Educação Básica no Centro Universitário Norte do Espírito Santo (CEUNES) e do Programa de Pós-graduação em Ensino, Educação Básica e Formação de Professores (UFES – Campus Alegre), ambos da área de concentração Ensino, a demanda pela pós-graduação strictu senso voltada aos profissionais da Educação continuou emergente.

Assim, a criação de um Programa de Pós-Graduação de Mestrado em Educação na modalidade profissional na UFES se constituiu mediante a demanda existente de pós-graduação strictu como possibilidade de investimentos na formação de profissionais em efetivo exercício profissional, seja na Educação Básica, seja no Ensino Superior.

Se há demanda para investimentos na formação strictu desses profissionais, o Centro de Educação da Ufes viu-se na condição de fortalecer o atendimento a essa demanda por contar com profissionais amplamente qualificados e estrutura possível para responder à criação de um Programa de Pós-Graduação de Mestrado Profissional em Educação. Os docentes do referido Centro possuem Doutorado em Educação ou áreas correlatas, além de vasta experiência com a Educação Básica e o Ensino Superior, seja pelo exercício profissional, seja pela realização de pesquisas e cursos de extensão.

Além disso, esses profissionais também acumulam experiências com cursos de pós-graduação lato sensu, muitos deles, constituídos em parceria com a Secretaria de Educação Básica do Ministério da Educação. Por longos anos, essa parceria vem fortalecendo a formação de professores, gestores, coordenadores pedagógicos, secretários escolares, participantes de conselhos municipais e estaduais de Educação, dentre outros. Além disso, muitos docentes do Centro de Educação acumulam experiências com mestrados profissionais de outros centros acadêmicos, situação que fortaleceu o pressuposto de o Centro de Educação ter condições de conduzir o mestrado profissional em educação.

Não se pode deixar de mencionar a experiência dos professores do Centro de Educação com a formação em nível de graduação. Atualmente, os docentes do Centro de Educação, além de ser responsáveis pela formação integral dos cursos de licenciatura em Pedagogia e Educação do Campo, são responsáveis pela formação pedagógica dos cursos de licenciatura da Universidade. Sendo assim, o Centro de Educação possui experiências na área de educação, tanto em nível de graduação e pós-graduação, que permitiram a oferta, com qualidade, do mestrado profissional.

Além da existência de corpo docente qualificado e com condições para a criação do Programa de Pós-Graduação de Mestrado Profissional em Educação, a Universidade Federal do Espírito Santo e o Centro de Educação possuem condições estruturais para a realização da formação inicial e continuada de professores, situação que perpassa espaço físico para a realização das atividades didático-pedagógicas, teatro, auditórios, núcleos e laboratórios, bibliotecas, gabinete para os professores, dentre outros.

Assim, mediante a demanda pela pós-graduação strictu senso em Educação no Espírito Santo, a existência de um corpo docente qualificado no Centro de Educação e condições estruturais na Ufes e no Centro de Educação, um conjunto de ações foram implementadas para a criação do Programa de Pós-Graduação de Mestrado Profissional em Educação.

Uma primeira iniciativa foi o levantamento da demanda de formação existente no Estado. Conforme dados do MEC/Inep/Deed, no Espírito Santo, as pesquisas apontam que há 42.487 professores da educação básica. Destes, 16 com apenas o Ensino Fundamental, 2.642 com o Ensino Médio, 1.304 com o Normal/Magistério, 38.525 com o ensino superior. Os dados indicam a necessidade de investimento na formação inicial dos docentes que não possuem o ensino superior, mas também a necessidade de incremento de políticas que garantam a elevação do nível de formação dos profissionais que possuem nível superior. Indicam, ainda, a existência de um grande contingente de profissionais em condições de realizar cursos de mestrados profissionais em educação. Ainda segundo estatísticas, 32.874 possuem formação na área de educação e 736 na área de humanidades e Artes.

Portanto, esses dados enfatizam a existência de uma grande demanda por formação em nível de pós-graduação. Na Educação Infantil, segundo a mesma fonte, atuavam 11.476 docentes, no ensino fundamental (26.874), no ensino médio (9.100), na educação profissional (2.058), na educação de jovens e adultos (5.204), na educação especial (22.999) e na educação de jovens e adultos (5.504).

As pesquisas realizadas pelo MEC/Inep/Deed, no Espírito Santo, não apontam o número de docentes com pós-graduação stricto sensu. No entanto, a julgar pelo fato de que, até recentemente, havia, no Espírito Santo, apenas um Programa de Pós-Graduação em Educação com essa característica, podemos afirmar que há uma enorme demanda de docentes da educação básica, atuando em diferentes etapas e modalidades da educação básica, com condições de realizar o curso de Mestrado Profissional em Educação, principalmente, quando tomamos a variável idade. Assim, 1.667 docentes se encontram na faixa etária de até 24 anos, isto é, concluíram seus cursos superiores há pouco tempo, considerando que os concursos públicos nos municípios capixabas não contratam mais professores de nível médio. Há, ainda, 10.133 docentes na faixa etária de 25 a 32 anos e 12.435 entre 33 e 40 anos.

Além da demanda de docentes da educação básica, existe, na Universidade Federal do Espírito Santo, conforme dados da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, em torno de 400 técnicos em condições de realizar cursos de mestrado profissional em educação, visando ao aperfeiçoamento da gestão no ensino superior. Diante das estatísticas, concluiu-se que há, no Espírito Santo, demanda pelo Mestrado Profissional e possibilidades de o Centro de Educação contribuir com o alcance da meta 16 do Plano Nacional de Educação, porque possui um corpo docente qualificado e em condições de assumir a responsabilidade com a formação continuada dos profissionais aqui referenciados.

Outro elemento que impulsionou a criação do Mestrado Profissional em Educação foi a implementação do Programa de Melhoria da Pós-Graduação (PROPOS), criado em 2013, pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UFES. O programa busca levantar elementos de diagnóstico das condições atuais do programa e de seu contexto na área de conhecimento da CAPES e apresentar as estratégias e metas a serem adotadas/estabelecidas para melhoria de conceito dos programas, incluindo ações de curto, médio e longo prazo. Outra ação desenvolvida pelo PROPOS é o incentivo à criação de novos cursos de mestrado/doutorado, situação que fortaleceram os debates no Centro de Educação para criação do PPGMPE. Assim, como forma de alavancar o desenvolvimento regional e nacional e ampliar as contribuições científicas nacionais e internacionais, bem como a geração de inovação e transferência de tecnologias, a UFES vem apoiando fortemente a criação e o fortalecimento dos cursos de pós-graduação stricto sensu em todas as suas áreas de atuação.

Mediante as questões explicitadas, o Centro de Educação iniciou os debates sobre a criação do Programa de Pós-Graduação de Mestrado Profissional em Educação. A indicação de criação de um Programa de tal natureza não era uma discussão recente, sendo uma demanda acenada nos diversos Fóruns realizados pelo Centro e por coletivos de professores desde 2012.

Inicialmente, a proposta perpassou por várias análises, considerando o posicionamento do Fórum de Coordenadores de Programas de Pós-Graduação em Educação (FORPREd) e de alguns estudiosos do campo da Educação. No interior do Centro de Educação da Ufes, também havia ponderações quanto a criação de um programa de pós-graduação de tal natureza. Por meio do Fórum do Centro de Educação, discussões e reflexões sobre o projeto de criação foram se constituindo e fortalecendo o amadurecimento da tomada de decisão pela proposição do programa.

Em 2014, o Centro de Educação manifestou para a Secretaria de Estado da Educação do Espírito Santo (SEDU) o interesse em compor parceria para a oferta do Mestrado Profissional em Educação. A proposta foi acolhida e foram apresentadas áreas que poderiam ser contempladas pelo curso. Também houve uma consulta à PRPPG sobre o interesse da oferta e sobre a demanda dos técnicos.

Além disso, criou-se espaço para ouvir as experiências da Universidade de Brasília (UnB) com essa modalidade de Mestrado, principalmente, quanto ao financiamento e as avaliações quadrienais. Após esses diálogos, os docentes do Centro de Educação apontaram a necessidade de ouvir experiências de professores que coordenam ou participam de Mestrados Profissionais na Ufes e de identificação, no âmbito do Centro de Educação, de grupos de docentes interessados em compor um Programa com essa natureza.

Ainda em 2014, ocorreu uma reunião com a coordenação do Mestrado Profissional em Gestão Pública da Ufes, compondo possibilidades para acesso às experiências desse mestrado, bem como discussões quanto ao financiamento, organização das linhas de pesquisa, quadro de docentes, objetivos, dentre outros aspectos. Nesta reunião, foram apresentadas as demandas de formação advindas das redes de ensino capixabas (estadual e municipais) e possíveis linhas de pesquisa, identificadas a partir do levantamento dos professores interessados em integrar o Programa, sendo elas resultado de discussões realizadas com a SEDU.

A partir da possibilidade de parceria com a Secretaria de Estado da Educação, da existência de demandas e interesse da Ufes, da existência de um conjunto significativo de docentes no Centro com interesse em integrar o Programa e da infraestrutura existente, foi constituída uma primeira Comissão com a finalidade de elaborar o Projeto do Mestrado Profissional em Educação.

Em 2015, o Mestrado Profissional em Educação voltou a ser discutido no Fórum do Centro de Educação e decidiu-se pela recomposição da comissão de elaboração do projeto de modo a fazer integrar representantes do Centro de Educação, técnicos-administrativos em Educação e professores do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE). Em 07 de dezembro de 2015, a Comissão apresentou, no Fórum de Educação, a proposta preliminar do Mestrado Profissional, sendo acolhidas sugestões para revisão do projeto.

No ano de 2016, com a finalização do projeto e com a definição de prazos para seu envio, a proposta foi enviada à Capes. Em 2017, apesar das mudanças no cenário político e econômico do País, a proposta foi aprovada, tendo o Programa a seguinte missão e objetivos:

Missão: investimentos na formação de profissionais em efetivo exercício na Educação Básica e no Ensino Superior como Mestres em Educação na modalidade profissional, visando proporcionar a esses sujeitos condições para problematizar questões relativas à docência, à gestão, às políticas educacionais, aos processos de ensino-aprendizagem e à constituição de escolas inclusivas.

Nessa perspectiva, a formação realizada contribui com a busca por alternativas de atuação nos espaços educativos de modo a qualificá-los, além de ampliar as possibilidades de construção de saberes interdisciplinares e pedagógicos, fundamentados em valores éticos, políticos e estéticos atinentes às atividades de ensinar, aprender, compor/avaliar políticas e de gestão.

A partir da missão proposta, o PPGMPE tem por objetivos:

Objetivo Geral: Promover a formação continuada de profissionais da Educação, fundamentada em princípios teórico-metodológicos que valorizem a experiência profissional e a articulação entre teoria e prática.

Objetivos Específicos:

a) Promover a articulação entre a pesquisa e a prática escolar, de modo a contribuir para o enfrentamento das demandas educacionais atuais.

b) Estimular a proposição de estratégias de gestão educacional e de intervenção pedagógica que contribuam para a melhoria da qualidade do ensino e da aprendizagem.

c) Fomentar práticas inclusivas que privilegiem a diversidade nos processos educacionais.

Com a aprovação do Programa pela Capes, iniciaram-se as reuniões do colegiado para composição da coordenação e coordenação adjunta e o primeiro processo de seleção. Ainda em 2017, foi realizada a seleção da primeira turma de mestrandos, contando com a candidatura de profissionais da Educação Básica e do Ensino Superior em atuação em diversos municípios do Estado do Espírito Santo e estados vizinhos. Na primeira seleção, foram inscritos 122 candidatos para 22 vagas. No segundo semestre de 2017, as atividades letivas do PPGMPE foram iniciadas.

No primeiro semestre de 2018, realizou-se o processo de seleção para a segunda turma. Inscreveram-se 249 candidatos para 30 vagas, sendo iniciadas, as atividades formativas no segundo semestre deste mesmo ano.

Tendo em vista a necessidade de iniciar as atividades formativas no início de cada ano – considerando um processo de autoavaliação concretizado junto aos mestrandos – optou-se por realizar a seleção da terceira turma em 2018/2 para início das atividades letivas em 2019/1. Assim, o terceiro processo seletivo contou com 266 inscritos para 45 vagas.

Em 2019/2 realizou-se a seleção para a quarta turma, contando o processo de seleção com 302 inscritos para 35 vagas. A referida turma iniciaria o processo formativo no primeiro semestre de 2020, no entanto, em virtude da Pandemia da Covid-19, as atividades de ensino presenciais da Ufes (graduação e pós-graduação) foram suspensas pela Resolução nº 7/2020, do Conselho Universitário.

Desta forma, por meio da Resolução 29/2020, do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, foram adotadas providências para o Ensino-Aprendizagem Remoto Temporário e Emergencial – Earte de Pós-Graduação em tempos de pandemia – iniciando as atividades formativas desta quarta turma em 14/09/2020.

Atualmente, o Programa de Pós-Graduação de Mestrado Profissional em Educação da Ufes conta com 51 mestres já diplomados (duas turmas concludentes) e 80 estudantes em processo de formação. O Programa tem colaborado com a expansão da pós-graduação no Estado do Espírito Santo e estados circunvizinhos. Assim, tem cumprido sua missão e objetivos, contribuindo com a formação de profissionais da Educação que encontravam empecilhos em continuar seus processos formativos, seja pela distância entre seus locais de moradia até a cidade de Vitória, seja pela composição de currículos de outros programas de pós-graduação que não favorecem a conciliação entre estudos e vida profissional, considerando que a maioria das disciplinas do Mestrado Profissional é de 30 horas, sendo elas ministradas às segundas e terças-feiras, quinzenalmente.

Na linha do que define o Plano Nacional de Educação em vigor, o Programa de Mestrado Profissional também expressa sua missão e objetivos quando contribui, no Espírito Santo e em outros Estados, para o alcance da Meta 16, a saber: formar, em nível de pós-graduação, 50% (cinquenta por cento) dos professores da educação básica, até o último ano de vigência deste PNE, e garantir a todos(as) os(as) profissionais da educação básica formação continuada em sua área de atuação, considerando as necessidades, demandas e contextualizações dos sistemas de ensino.

Nesse sentido, a Meta prevê a elevação dos níveis de escolarização dos professores da educação básica. Para o alcance dessa meta imprescindível e que envolve a valorização dos profissionais da educação, em primeiro lugar, é necessária a abertura, por parte das universidades, para a oferta de mestrados profissionais em educação e também investimentos por parte do poder público. O aperfeiçoamento profissional permanente certamente proporcionará avanços educacionais, inclusive propiciando práticas de gestão e de ensino-aprendizagem que contribuam para a melhoria da qualidade da educação e para a permanência dos estudantes nas escolas. É importante salientar, ainda, que a formação continuada se constitui em direito dos professores e dos profissionais da educação.

Alunos Formados e Matriculados:O programa já formou 44 mestres e conta com 87 alunos regularmente matriculados, todos no mestrado.

Nome dos coordenadores e coordenadores-adjuntos:

Período: 2017-2018

Coordenador(a): Prof. Dr. Alexandro Braga Vieira

Coordenador(a)-Adjunto(a): Prof. Dra. Tânia Mara Zanotti Frizzera Delboni

Histórico do conceito CAPES do programa:

Avaliação do Programa pela Capes: Conceito 3

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910